Skol e sua nova postura afirmativa

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O post de hoje é sobre um assunto que há algum tempo tenho vontade de abordar aqui no blog, que é a nova postura que a Skol vem exercendo em relação às ações afirmativas. Vivemos em uma nova geração em relação à representatividade, em quase todo lugar, hoje, somos por diversas vezes levados a conversas, debates e até brigas quando esse assunto é colocado e por mais que muitos gostem ou não, estamos no tempo de colocar as fichas na mesa e falar mais abertamente sobre isso. 

A Skol vem tentando mudar a sua postura e renovar a imagem da empresa, ela assim como outras grandes marcas de cerveja passaram boa parte da sua trajetória associando o consumo de cerveja ao público masculino, sempre carregado de piadinhas de duplo sentido, geralmente de cunho machista, incluindo a forte objetificação do corpo da mulher (eu precisaria de uns três posts para falar sobre isso), porém os tempos são outros e graças a muita luta de alguns setores da sociedade em prol de maior representatividade nas grandes mídias, tem surgido um efeito positivo, pois cada vez mais temos vistos a mudança de postura de algumas empresas que antes eram vistas como inimigas e agora vêm se mostrando como aliadas na luta por mudanças mais profundas na nossa sociedade.


Uma das primeiras ações realizadas pela empresa foi uma campanha no dia da mulher, intitulada: Repôster - Redondo é sair do seu passado, onde assume seu passado machista e mostra 6 ilustradoras que à convite da empresa refizeram cartazes de campanhas anteriores que retratavam a mulher como objeto sexual para consumo, muita vezes dando a entender que a mulher era o objeto vendido e a cerveja apenas um brinde.


Já em contra posição, os novos cartazes refeitos pelas ilustradoras mostram um lugar diferente, a mulher não aparece como um objeto a ser consumido junto à cerveja mas sim como consumidora e que também quer e deve ser vista como tal.


Outro tabu que a empresa vem tentando quebrar em relação a sua marca é a velha estereotipização de corpos em comerciais de cervejas, sempre foi muito comum se colocar um imaginário de corpos perfeitos (principalmente os femininos), praia, gente bonita e etc. Tudo bem longe de uma imagem mais real e democrática. Nem todo mundo que vai à praia e consome cerveja tem o padrão de corpo mostrado nesses comerciais (e nem tem que ter, ser quem você é, se amar do jeito que você é, deve ser o essencial). "Skol - Redondo é sair do seu quadrado" mostra uma diversidade de pessoas e corpos, e que todo mundo pode ter o seu espaço.


Em seguida veio a campanha "Skol - Viva a diferença'', onde a empresa veio abordando mais diretamente as questões étnico/racial, com uma estética inclusiva, falando sobre diversidade, inclusão e aceitação, seguindo a linha do comercial apresentado no comercial anterior exibido acima, porém neste, o tema foi apresentado de uma forma mais clara e direta.


Por último, porém não menos importante veio a campanha "Skol - Skolors" (Skol + Colors), uma campanha com uma pegada visual e conceitual muito interessante, com uma trilha sonora que passeia por sons e musicalidades que remetem elementos típicos brasileiros e também a sacada genial de colocar a cor nas latinhas. A proposta foco da propaganda parece ter sido inspirada muito ao estilo das propagandas famosas da Benetton dos meados dos anos 80, confira abaixo:



Contudo, devemos sempre problematizar um pouco de tudo que foi colocado acima. Antes que pareça que estou fazendo propaganda para a Skol, vejo com super bons olhos essa representação de grupos que antes não eram tão bem representados pela mídia, porém não podemos nos deixar enganar com tudo que se mostra tão bom e revolucionário, nesse caso devemos lembrar que não deixa de ser uma estratégia de propaganda com boas intenções e por mais que queiram mostrar seu novo posicionamento, sabemos que toda essa mudança tem um viés mais financeiro do que social.

Cada vez mais as empresas compreendem que a sociedade está passando por mudanças e que estar do lado da "evolução" é melhor em vários aspectos do que se manter com a mesma postura retrógrada. Lendo os comentários dos vídeos expostos acima, a quantidade de hate que ainda há nesses temas, vejo que por mais que esteja havendo uma pequena evolução nesse cenário ainda estamos bem longe de uma mudança efetiva e real.


18 comentários:

  1. Eu tinha visto essa primeira propaganda, e já tinha achado super legal a ideia, e eles terem mudado esse olhar. E ainda mais com ilustradoras (amo ilustração haha) . Mas as outras não sabia, muito legal eles falarem das etnias e do padrão de corpo, todos nós somos iguais, e não deveria ter nada de preconceito, mostraram muito a união das pessoas, amei demais! Obrigada por compartilhar <3 Kissus!

    ResponderExcluir
  2. Eu fiz um analise semiótica sobre as campanhas de cerveja para meu curso de Publicidade e a mudança no conceito mudou radicalmente de uns tempos para cá, o que se deu devido as leis geradas em volta desse tipo de campanha, o que mais admiro é que eles sabem usar da influencia que tem para conscientizar o outro. Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também faço Publicidade, o proprio mercado alto se regula pra que forças externas não o limite, e claro, eles percebem que chega um momento que o formato não esta mais dando certo né, e que a mudança se faz necessária. Bjs e obrigado pelo seu comentario.

      Excluir
  3. Esses pequenos passos fazem uma puta diferença, eu não assisti tv a anos mas se tu me perguntar qual minha última lembrança de um comercial de cerveja com todo certeza afirmo que era de uma mulher linda, gostosa e pelada levando uma cerveja pra uma roda de caras. E ver propagandas mais evoluídas e sem esse apelo jogando a mulher com o produto é uma evolução pra comemorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, em pequenos passos infelizmente, vamos vendo a mudança que cada vez mais se torna nítida. Obg por seu comentario.

      Excluir
  4. Caramba eu não tinha visto isso ainda e olha já achei uma baita diferença. E super gostei da mudança. Achei muito legal eles inovarem em ilustrações e até mesmo em movimentos e etnias sociais. Amei esse POST principalmente por não ter visto isso ainda. Arrasou no assunto abordado. Parabéns ❤

    ResponderExcluir
  5. Achei muito legal a eles abordar esse tema de etnias as diferenças entre os povos, e adorei as inlustração, uma boa não ter apenas loiras gostosas no comercias mais sim falando de assuntos importantes. Sucesso, beijos

    ResponderExcluir
  6. Cara que post 😍😍 Eu não tinha visto ainda, adorei toda essa mudança!! A ultima propraganda de cerveja que vi, foi de uma mulher com o corpo maravilhoso levando cerveja pros caras. Muito legal isso que eles fizeram agora, e com várias pessoas juntas 💛

    ResponderExcluir
  7. Eu acho bárbaro as empresas que estão se posicionando a favor de uma maior representatividade. Tanto em questão de consumo de cerveja, quanto na indústria da beleza, da moda. É necessário. É óbvio que o lucro é sempre o foco, até porque uma empresa se mantém de vendas e negócios são negócios, mas precisamos ter senso crítico na hora de entender quais empresas estão realmente mudando o posicionamento por questões sociais e quais as que estão sendo apenas oportunistas mas não estão nem ai pra mudanças de verdade. Adorei o post! :)

    ResponderExcluir
  8. Ta aí um post interessante e diferente do que estou acostumada a ler e confesso que percebi pouco isso pelo fato de não beber e não acompanhar muito sobre o assunto, mas achei muito interessante e importante essa evolução que está acontecendo nos últimos tempos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não bebo porém faço Publicidade, e isso faz parte da minha area, e achei uma pauta legal para se falar aqui no blog. Obrigado e bjs !!

      Excluir
  9. To adorando essa novas posições das marcas, por mais que seja marketing, elas são muito famosas e atingem um grande numero de pessoas. A unica coisa ruim mesmo foi ler os comentários e ver o tanto de pessoa ruim que ainda existe no mundo. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!! é ótimo os novos posicionamentos, porém vemos que o mundo ainda é o mesmo.

      Excluir